Ciranda do Mel: o desenvolvimento socioambiental da apicultura familiar no Vale do Paraíba/SP

Lidia Maria Ruv Carello Barreto, João Carlos Nordi, Luiz Eugênio Veneziani Pasin, Ana Paula da Silva Dib, Gustavo Frederico Ribeiro Peão, Elisa Maria Pires Souza, Lisa Gomes Alvarelli, Emilson Pohl, Nicholas Taborda Nordi, Felipe de Sales Froes, Raul Gaglioli, Marilucia Lamoglia

Resumo


O projeto extensionista de desenvolvimento da apicultura familiar, teve início em 2007 no Município de Monteiro Lobato?SP, foi vencedor do XI Concurso da Universidade Solidária?UNISOL e se constituiu na parceria entre a Universidade de Taubaté?UNITAU, Prefeitura Municipal de Monteiro Lobato?SP, Associação de Pequenos Produtores Rurais(APPR) e Universidade Solidária?UNISOL / ABN?AmroBank. Este trabalho teve como objetivo proporcionar aos apicultores da APPR o acesso a assistência e acompanhamento que envolveu conceitos técnicos de manejo, de empreendedorismo, de comercialização dos produtos e questões de relacionamento e convivência em grupo. Devido a capacidade de atuação e alcance de resultado, este projeto atualmente está sendo desenvolvido em mais dois municípios, Redenção da Serra e São Luiz do Paraitinga, e conta com o apoio de novos parceiros, que são as associações de apicultores destes municípios, poder público local e da empresa Fibria A metodologia desenvolvida e denominada de “Ciranda do Mel” é resultante do aprimoramento do Projeto: “Difusão de Abelhas Rainhas ? DIFAR” desenvolvido em 10 municípios no Vale do Paraíba?SP no período de 1994. Os resultados obtidos foram ampliação da consciência ambiental, provocando mudanças de atitudes, ampliação de competências empreendedoras entre os apicultores e familiares, aumento da participação da apicultura na renda familiar de 23,6% para 25,7%, aumento no numero de colméias por apicultor de 20,8 para 22,8 colméias, elevação da produtividade de mel por colméia de 11,5 quilos para 19,4 quilos de mel/colméia/safra, implantação de uma infraestrutura coletiva para o beneficiamento do mel, melhoria na qualidade, melhoria na comercialização do produto com o uso de embalagens adequadas, criação da Trilha do Mel juntamente com a peça teatral encenada pelos filhos dos apicultores (agroturismo), criação e desenvolvimento de artesanato com a temática relacionada a apicultura e meio ambiente. A atuação de práticas extensionistas permitiu não só alcance dos objetivos propostos, bem como a melhoria na autoestima e o próprio empoderamento entre os atores.

Palavras-chave


Apicultura familiar. Mel. Desenvolvimento socioambiental. Sustentabilidade. Renda.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
Revista Ciência em Extensão by Pró-Reitoria de Extensão Universitária - UNESP - Brasil is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.
Based on a work at ojs.unesp.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/about/editorialPolicies#custom0.