Câncer de colo uterino: detecção precoce e ações educativas com mulheres universitárias

Rodrigo Covre Vieira, Jaqueline de Sá Lima Heninng, Camila Carla da Silva Costa, Benedito Antônio Pinheiro dos Prazeres, Josinaide Quaresma Trindade, Rafaella do Nascimento Ferreira, Edna Aoba Yassui Ishikawa, Mihoko Yamamoto Tsutsumi, Maisa Silva de Sousa

Resumo


Objetivo: O Câncer do Colo do Útero (CCU) é o tipo de câncer mais frequente entre mulheres da região Norte do Brasil. A realização periódica do exame preventivo de Papanicolaou permite a identificação de lesões precursoras do câncer, onde as taxas de cura podem ser de até 100%. O presente estudo teve como objetivo promover ações preventivas para o CCU entre estudantes de Universidade pública em Belém, Pará, Brasil, a partir do exame preventivo de Papanicolaou, teste de Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) para o papilomavírus humano (HPV) e orientação quanto aos fatores de risco associados à infecção viral. Métodos: Foi realizado um estudo descritivo que incluiu 329 universitárias provenientes de demanda espontânea nos anos de 2013 e 2014. As estudantes responderam a um questionário sócio-epidemiológico e em seguida foi realizada a coleta do material cérvico-vaginal para análise citológica e de PCR. Resultados: O perfil das participantes do estudo foi de mulheres com idade igual ou inferior a 25 anos (n=202; 61,3%), não fumantes (n=327; 99%), solteiras (n=298; 90%) e com múltiplos parceiros sexuais (n=199; 60,4%). As alterações citológicas foram observadas em 12,8% (n=42) das amostras das estudantes avaliadas e a infecção por HPV em 25,8% (n=85). Os resultados com alterações citológicas onde a presença do DNA viral foi confirmada a partir da PCR foram mais frequentes entre as mulheres mais jovens. As Lesões Intraepiteliais Escamosas de Baixo Grau e Alto Grau (LSIL/HSIL), a idade da menarca e a paridade demonstraram associação estatisticamente significante com a infecção por HPV. Conclusão: A atividade de extensão obteve ampla participação por parte das universitárias de Belém, demonstrando que estas estão conscientes quanto à necessidade da realização periódica do exame de Papanicolaou para a prevenção do CCU. Os elevados percentuais de alterações citológicas e de infecções por HPV observados no estudo reforçam a importância da extensão universitária na prevenção do câncer em nossa região.


Palavras-chave


Câncer do Colo do Útero. Exame de Papanicolaou. Papilomavírus humano. Extensão universitária.

Texto completo:

PDF

Referências


AYRES, M. et al. BioEstat 5.3. 2011. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2014.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Fundamentos teórico-práticos e protocolos de extração e de amplificação de DNA por meio da técnica de Reação em Cadeia da Polimerase. São Carlos, 2007. Disponível em: . Acesso em: 24 nov. 2014.

BROWN, D. R. et al. The impact of quadrivalent human papillomavirus (HPV; types 6, 11, 16, and 18) L1 virus-like particle vaccine on infection and disease due to oncogenic nonvaccine HPV types in generally HPV-naive women aged 16-26 years. The Journal of Infectious Diseases, Chicago, v. 199, n. 7, p. 926-935, abr. 2009.

BRUNI, L. et al. Cervical human papillomavirus prevalence in 5 continents: meta-analysis of 1 million women with normal cytological findings. The Journal of Infectious Diseases, Chicago, v. 202, n. 12, p. 1789-99, dez. 2010.

CASTLE, P. E. et al. Short term persistence of human papillomavirus and risk of cervical precancer and cancer: population based cohort study. BMJ, London, v. 28, n. 339, jul. 2009.

DE SANJOSÉ, S. ET AL. Worldwide prevalence and genotype distribution of cervical human papillomavirus DNA in women with normal cytology: a meta-analysis. Lancet Infectious Diseases, New York, v. 7, n. 7, p. 453-459, jul. 2007.

DEMIR, E. T. et al. The prevalence of different HPV types in Turkish women with a normal Pap smear. Journal of Medical Virology, New York, v. 84, n. 8, p. 1242-1247, ago. 2012.

DUNNE, E. F. et al. Prevalence of HPV infection among females in the United States. JAMA, Chicago, v. 297, n. 8, p. 813-819, fev. 2007.

FERRERA, A. et al. Assessment of HPV infection among female university students in Honduras via Roche linear array. International Journal of Gynaecology and Obstetrics, New York, v. 113, n. 2, p. 96-99, maio 2011.

HO, C. M. et al. Type-specific human papillomavirus oncogene messenger RNA levels correlate with the severity of cervical neoplasia. International Journal of Cancer, New York, v. 127, n. 3, p. 622-632, ago. 2010.

HOWELL-JONES, R. et al. Prevalence of human papillomavirus (HPV) infections in sexually active adolescents and young women in England, prior to widespread HPV immunisation. Vaccine, Kidlinton, v. 6, n. 30, p. 3867-3875, jun. 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (INCA). Programa Nacional de Controle do Câncer do Colo do Útero. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2015.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (INCA). Coordenação Geral de Ações Estratégicas. Divisão de Apoio à Rede de Atenção Oncológica. Diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero. Rio de Janeiro, 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (INCA). Estimativa 2014. Incidência do Câncer no Brasil. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: . Acesso em: 13 maio 2015.

INTERNATIONAL AGENCY OF RESEARCH ON CANCER (IARC). Working Group on the Evaluation of Carcinogenic Risks to Humans. Human papillomaviruses. Lyon: WHO: IARC, 2007. 636 p. (IARC Monographs on the Evaluation of Carcinogenic Risks to Humans, v. 90).

INTERNATIONAL AGENCY FOR RESEARCH OF CANCER (IARC). GLOBOCAN 2012: estimated cancer incidence, mortality and prevalence in world in 2012. Lyon: IARC, 2012. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2015.

KAVANAGH, K. et al. Estimation of HPV prevalence in young women in Scotland; monitoring of future vaccine impact. BMC Infectious Diseases, London, v. 13, n. 519, nov. 2013.

MANOS, M. M. et al. Use of polymerase chain reaction amplification for the detection of genital human papillomaviruses. Cancer Cells, New York, v. 7, p. 209-214, 1989.

NAKAGAWA, J. T. et al. Fatores associados ao câncer invasivo do colo do útero no estado de Mato Grosso. Ciência, Cuidado e Saúde, Maringá, v. 9, n. 4, p. 799-805, 2010.

OAKESHOTT, P. et al. Frequency and risk factors for prevalent, incident, and persistent genital carcinogenic human papillomavirus infection in sexually active women: community based cohort study. BMJ, London, v. 344, n. 4168, jun. 2012.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). WHO/ICO Information Centre on HPV and Cervical Cancer (HPV Information Centre). Human papillomavirus and related cancers in world. Summary Report 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 jun 2015.

PANATTO, D. et al. Prevalence of human papillomavirus in young Italian women with normal cytology: how should we adapt the national vaccination policy? BMC Infectious Diseases, London, v. 13, n. 575, dez. 2013.

RABELO-SANTOS, S. H. et al. DNA recovery from Hybrid Capture II samples stored in specimen transport medium with denaturing reagent, for the detection of human papillomavirus by PCR. Journal of Virological Methods, Amsterdam, v. 126, n. 1/2, p. 197-201, jun. 2005.

WALBOOMERS, J. M. et al. Human papillomavirus is a necessary cause of invasive cervical cancer worldwide. The Journal of Pathology, Chichester, v. 189, n. 1, p. 12-19, set. 1999.




Creative Commons License
Revista Ciência em Extensão by Pró-Reitoria de Extensão Universitária - UNESP - Brasil is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.
Based on a work at ojs.unesp.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/about/editorialPolicies#custom0.