Análise do conhecimento de alunos do ensino médio público sobre parasitoses endêmicas na região do Médio Araguaia mato-grossense

Wagner Welber Arrais-Silva, Tereza Bárbara Anunciação Santos, Karina Monteiro Aguiar, Marlise Sturmer, Meuren Theyla Niemes Feitosa, Rosaline Rocha Lunardi, Marcelo Fermanian Catunda Siqueira

Resumo


Grande parte do território nacional se encontra em uma zona tropical, essa região quente do país propicia a proliferação e o incremento de vetores e parasitas. Ligado a isso o país sofre com uma educação pública de baixa qualidade, problemas corriqueiros como falta de saneamento básico na maioria das cidades e uma má distribuição de renda. A região do médio-Araguaia mato-grossense também sofre com esses dilemas nacionais, além disso, essa região está na porta de entrada da Amazônia Legal, fazendo com que as cidades fiquem próximas as zonas rurais e áreas de florestas. A cidade de Barra do Garças em particular é margeada por uma área de conservação conhecido com PESA (Parque Estadual da Serra Azul). A proximidade com esse parque e a zona rural traz riscos a população, pensando nisso, foi feito uma pesquisa com a população estudantil de escolas públicas, sobre os meios de prevenção de parasitoses endêmicas da região. A pesquisa demonstrou pouco conhecimento dos alunos frente aquelas parasitoses de baixa morbidez. E evidenciou que parasitoses que são perceptíveis são importantes para o aumento do conhecimento dos meios de prevenção.


Palavras-chave


Percepção, exposição, parasitismo, prevenção

Texto completo:

PDF

Referências


BRANCO, B. H. M.; ARAÚJO, S. M.; FALAVIGNA-GUILHERME, A. L. Prevenção primária da toxoplasmose: conhecimento e atitudes de profissionais de saúde e gestantes de serviço público de Maringá, estado do Paraná. Scientia Medica, Porto Alegre, v. 22, n. 4, p. 185-190, 2012. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2013.

COSTA, M. L. et al. Levantamento do Perfil Epidemiológico da Toxoplasmose na Cidade de Jataí - GO. São Paulo: SBPC, 2011. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2013.

GRILLO, L. P. et al. Influência das condições socioeconômicas nas alterações nutricionais e na taxa de metabolismo de repouso em crianças escolares moradoras em favelas no município de São Paulo. Revista da Associação Médica Brasileira, São Paulo, v. 46, n. 1, p. 7-14, 2000. Disponível em . Acesso em: 03 abr. 2014.

KÃFERSTEIN, E. K.; MOTARJEMI, Y.; BETTCHER, D. W. Foodborne disease control: a transnational challenge. Emerging Infectious Diseases, Atlanta, v. 3, p. 503-510, 1997. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2014.

KOROMA, J. B. et al. Geographical distribution of intestinal schistosomiasis and soil-transmitted helminthiasis and preventive chemotherapy strategies in Sierra Leone. PLoS Neglected Tropical Diseases, San Francisco, v. 4, n. 11, p. e891, 2010. Disponível em . Acesso em 03 abr. 2014.

LIMA, A. M. A. et al. Percepção sobre o conhecimento e profilaxia das zoonoses e posse responsável em pais de alunos do pré-escolar de escolas situadas na comunidade localizada no bairro de Dois Irmãos na cidade do Recife (PE). Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, supl. 1, p. 1457-1464, 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2013.

LIMA, R. de S. et al. Prevalência de cisticercose bovina e conhecimento sobre a doença em 20 municípios do estado de Mato Grosso. Revista Panorâmica Multidisciplinar, Pontal do Araguaia, v. 12, p. 46-60, 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2013.

MILANO, A. M. F.; OSCHEROV, E. B. Contaminación por parásitos caninos de importancia zoonótica en playas de la ciudad de Corrientes, Argentina. Parasitologia latinoamericana, Santiago, v. 57, n. 3-4, 2002. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2014.

MISSAWA, N. A.; LIMA, G. B. M. Distribuição espacial de Lutzomyia longipalpis (Lutz & Neiva, 1912) e Lutzomyia cruzi (Mangabeira, 1938) no estado de Mato Grosso. Revista da Sociedade Brasileira Medicina Tropical, Uberaba, v. 39, n. 4, p. 337-340, 2006. Disponível em:

lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 13 set. 2013.

MONTEIRO, A. M. C. et al. Parasitoses intestinais em crianças de creches públicas localizadas em bairros periféricos do munícipio de Coari, Amazonas, Brasil. Revista de Patologia Tropical, Goiânia, v. 38, p. 284-290, 2009. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2014.

NITHIKATHKUL, C. et al. A study of ectoparasites of Canis lupus familiaris in Mueang District, Khon Kaen, Thailand. Southeast Asian Journal of Tropical Medicine and Public Health, Bangkok, v. 36, suppl. 4, p. 149-151, 2005. Disponível em:. Acesso em: 03 abr. 2014.

PEDRAZZANI, E. S. et al. Aspectos educacionais da intervenção em helmintoses intestinais, no subdistrito de Santa Eudóxia, Município de São Carlos - SP. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 74-85, 1990. Disponível em:. Acesso em: 14 set. 2013.

SILVA, G. M. V. Parasitos intestinais na comunidade indígena Xavante de Pimentel Barbosa, Mato Grosso, Brasil. 2010. 79 f. Dissertação (Mestrado em Ciências na área de Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Rio de Janeiro, Fiocruz, 2010. Disponível em:. Acesso em: 03 abr. 2014.

SILVA, J. C. et al. Parasitismo por Ascaris lumbricoides e seus aspectos epidemiológicos em crianças do Estado do Maranhão. Revista da Sociedade Brasileira Medicina Tropical, Uberaba, v. 44, n. 1, p. 100-102, 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2014.

TÉLLEZ, A. et al. Prevalence of intestinal parasites in the human population of León, Nicaragua. Acta Tropica, Amsterdam, v. 10, p. 119-125, 1997. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2014.

VARELLA, I. S. et al. Prevalência de soro positividade para toxoplasmose em gestantes. Jornal de Pediatria (Rio J.), v. 79, n. 1, p. 69-74, 2003. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2013.




Creative Commons License
Revista Ciência em Extensão by Pró-Reitoria de Extensão Universitária - UNESP - Brasil is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.
Based on a work at ojs.unesp.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/about/editorialPolicies#custom0.