Hábitos de idosas participantes de projeto de promoção à saúde

David Michel de Oliveira, Priscila Queiroz Ribeiro, Daniel dos Santos, Cristiane José Borges, Thaís Rocha Assis, Daniel Côrtes Beretta

Resumo


Este estudo descritivo transversal retrospectivo foi resultado do projeto de extensão para terceira idade, intitulado de Unipam Sênior desenvolvido na cidade Patos de Minas-MG. Objetivou-se descrever os hábitos de vida e perfil antropométrico da população alvo do projeto. Foi realizada reunião coletiva entre os extensionistas e participantes, sendo esclarecidos todos os procedimentos e que sua participação seria voluntária.  Por meio de questionário semiestruturado foram colhidos dados sobre hábitos de vida, presença de doenças e comportamento referente à prática de atividade física. Para análise do perfil antropométrico foram coletados peso e a estatura, cálculo do índice de massa corpórea e a mensuração da relação cintura quadril. Aplicou-se estatística descritiva para análise de dados. A população foi constituída por 77 idosas com idade de (61±0,8) anos, apresentando os seguintes resultados; 100% não usam tabaco, 3,8% consomem álcool, 80,5% não fazem dieta. Foram encontradas presença de doenças crônicas não transmissíveis; 40,2% apresentaram doenças metabólicas, 30% doenças cardiovasculares, 15% osteometabólicas, 4,7% doenças renais, 9,5% citaram outros tipos de doenças, e 79% faziam uso de medicamentos sob prescrição médica. Quanto a prática de atividade física observou-se maior aderência para as modalidades de hidroginástica e dança e menor preferência pelos exercícios neuromusculares. Todas as idosas realizavam atividades no mínimo 2 vezes por semana e 93% com duração de 1 hora, 59,7% realizam outras modalidades fora do projeto, sendo a caminhada não supervisionada teve maior preferência. Sobre a regularidade das atividades físicas realizadas fora do projeto, 41,3% realizam 2 vezes por semana com sessões perdurando 1 hora. Quanto à antropometria, 58,5% apresentaram estar com sobrepeso ou obesidade, sobre a relação cintura quadril 91% apresentaram risco alto ou muito alto para doenças cardiovasculares. Após análise dos dados retrospectivos conclui-se que a população estudada foi exclusiva de idosas acima dos 60 anos, apresentavam alguns hábitos favoráveis para saúde, entretanto em sua maioria eram acometidas por doenças cardiometabólicas, e embora fizessem tratamento por medicamentos e praticassem atividade física supervisionada, a maior parte não realizavam controle nutricional e expondo indicadores antropométricos inadequados para a saúde senil. Contudo, afirma-se sobre a importância de projetos extensão de universidade aberta para terceira idade para o envelhecimento ativo e promoção da saúde do idoso.


Palavras-chave


Idosos. envelhecimento ativo. antropometria. atividade física. hábitos de vida.

Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN COLLEGE SPORT MEDICINE (ACSM). Progression Models in Resistance Training for Healthy Adults. Medicine & Science In Sports & Exercise, [s.l.], v. 41, n. 3, p.687-708, mar. 2009. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1249/mss.0b013e3181915670.

AMORIM, M. et al. Fatores influenciadores para adoção de prática de atividades físicas percebidos por pessoas longevas. Revista da Educação Física/UEM, [s.l.], v. 25, n. 2, p.273-282, 30 jul. 2014. Universidade Estadual de Maringa. http://dx.doi.org/10.4025/reveducfis.v25i2.19302.

ANGST, C. A. et al. Estado nutricional de idosos em grupos de convivência. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, [s.l.], v. 12, n. 1, p.41-55, 22 out. 2015. UPF Editora. http://dx.doi.org/10.5335/rbceh.v12i1.4615.

AREOSA, S. V. C. et al. Envelhecimento ativo: um panorama do ingresso de idosos na universidade. Revista Reflexão e Ação, v. 24, n. 3, p.212-228, 2016.

BEZERRA, F.C.; ALMEIDA M. I.; NÓBREGA-THERRIEN, S. M. Estudos sobre envelhecimento no Brasil: revisão bibliográfica. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. 2012;15(1):155-167.

CAMARANO, A. A. Envelhecimento da população brasileira: uma contribuição demográfica. Rio de Janeiro: IPEA; 2002.

FERREIRA, M. et al. Efeitos de um programa de orientação de atividade física e nutricional sobre a ingestão alimentar e composição corporal de mulheres fisicamente ativas de 50 a 72 anos de idade. Rev. Bras. Ciên. e Mov. Brasília v. 11 n. 1 p. 35-40, 2003.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [Internet]. Brasília: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (BR) [cited 2016 feb 27]. Síntese de Indicadores uma Análise das Condições de Vida. 2015a. Available from: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv95011.pdf

INSTITUTE OF MEDICINE FOOD AND NUTRITION. Dietary reference intakes for energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol, protein, and amino acids. Washington DC: National Academy Press, 2005.

IRIGARAY, T. Q.; SCHNEIDER, R. H. Participação de idosas em uma universidade da terceira idade: motivos e mudanças ocorridas. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 24, n. 2, p. 211-216, 2008.

KOHRT, W.M. et al. Position stand: Physical Activity and Bone Health. Medicine and Science in Sports and Exercise, Indianapolis, v. 36, n. 11, p. 1985-96, Nov.2004.

KUCHEMANN, B.A. Envelhecimento populacional, cuidado e cidadania: velhos dilemas e novos desafios. Sociedade e Estado. 2012; 27 (1): 165-80.

LEBRÃ, M. L. Epidemiologia do envelhecimento. BIS, Bol. Inst. Saúde. 2009;(47):23-26.

LUCCHESI, G. Envelhecimento populacional: perspectivas para o SUS. In: Centro de Estudos e Debates Estratégicos. Brasil 2050: desafios de uma nação que envelhece. Brasília: câmara dos deputados; 2017.p. 43-59.

MALTA, D.C. et al. Surveillance and monitoring of major chronic diseases in Brazil - National Health Survey, 2013. Rev. bras. epidemiol., São Paulo , v. 18, supl. 2, p. 3-16, Dec. 2015.

MEDEIROS, P.A. et al. Participação masculina em modalidades de atividades físicas de um Programa para idosos: um estudo longitudinal. Ciência & Saúde Coletiva, [s.l.], v. 19, n. 8, p.3479-3488, ago. 2014. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014198.16252013.

MENDES, G.S.; MORAES, C.F.; GOMES, L. Prevalência de hipertensão arterial sistêmica em idosos no Brasil entre 2006 e 2010. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2014;9(32):273-278. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc9(32)795.

MOREIRA, P.F.P.; MARTINIANO FILHO, F. Aspectos nutricionais e o abuso do álcool em idosos. Envelhecimento e Saúde, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 23-6, 2008.

NELSON, M. E. Physical Activity and Public Health in Older Adults: Recommendation From the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Circulation, [s.l.], v. 116, n. 9, p.1094-1105, 7 ago. 2007. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1161/circulationaha.107.1856

NUNES, M. E.S.; SANTOS, S. Functional evaluation of elderly people in three physical activity programs: walking, water therapy exercise, and Lian Gong. Rev. Port. Cien. Desp., Porto , v. 9, n. 2-3, p. 150-159, 2009 . Disponível em . acessos em 27 set. 2017.

OLIVEIRA, D.M. et al. Estilo de vida e indicadores antropométricos de idosas praticantes de atividade física. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, [s.l.], v. 13, n. 2, p.171-183, 16 dez. 2016. UPF Editora. http://dx.doi.org/10.5335/rbceh.v13i2.5924.

PEREIRA, J.C.; BARRETO, S.M.; PASSOS, V. M. A. O perfil de saúde cardiovascular dos idosos brasileiros precisa melhorar: estudo de base populacional. Arq Bras Cardiol 2008; 91:1-10

SANTANA, J.O. et al. Atividade física e escore de risco de Framingham entre idosos: Projeto Bambuí. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 31, n. 10, p. 2235-2240, Oct. 2015 .

SEBASTIÃO, E.; GOBBI, S. Programa de Atividade Física para Idosos: Integração Comunidade - Universidade. Revista Ciência em Extensão, v.4, n.1, p.86, 2008.

SEBASTIÃO, E.C.G.et al. Atividade física, qualidade de vida e medicamentos em idosos: diferenças entre idade e gênero. Rev. Bras. Cineantropom. Desempenho Hum 2009, 11(2):210-216

SILVA, P.M.; SANTOS FILHO, J.A.A.; GOBBI, S. Aptidão funcional de mulheres idosas mediante programa supervisionado de atividades físicas generalizadas ou caminhadas regulares sem supervisão. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 11 n.2 2006.

SILVEIRA, E.A.; DALASTRA, L.; PAGOTTO, V. Polypharmacy, chronic diseases and nutritional markers in community-dwelling older. Revista Brasileira de Epidemiologia, [s.l.], v. 17, n. 4, p.818-829, dez. 2014. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1809-4503201400040002

TEIXEIRA, C.S. et al. Hidroginástica para idosos: qual o motivo da escolha? Salusvita, Bauru, v. 28, n. 2, p. 183-191, 2009.

TEIXEIRA, I. D'Aquino.; O.; NERI, A. L. Envelhecimento bem-sucedido: uma meta no curso da vida. Psicol. USP, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 81-94, Mar. 2008.

TEXEIRA, C.S.; PEREIRA, E.F.; ROSSI, AG. A Hidroginástica como meio para manutenção da qualidade de vida e saúde do idoso. ACTA FISIATR; 14(4): 226 – 232, 2007.

UNIPAM SÊNIOR (Patos de Minas-MG). Centro Universitário de Patos de Minas. Unipam Sênior: projeto de extensão. 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2017.

VERAS, R. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Rev. Saúde Pública. 2009;43(3):548-54.

VICENTE, F.R.; SANTOS, S. M.A. Multidimensional evaluation of determinants of active aging in older adults in a municipality in Santa Catarina.Texto contexto - Enferm., Florianópolis , v. 22, n. 2, p. 370-378, June 2013.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Waist circumference and waist-hip ratio: report of a WHO expert consultation. Geneva: WHO, 2008. Disponível em: bitstream/10665/44583/1/9789241501491_eng.pdf>. Acesso em: 12 mai. 2017.

ZAITUNE, M.P.A. et al. Fatores associados ao tabagismo em idosos: Inquérito de Saúde no Estado de São Paulo (ISA-SP). Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 28, n. 3, p. 583-596, Mar. 2012 .




Creative Commons License
Revista Ciência em Extensão by Pró-Reitoria de Extensão Universitária e Cultura - UNESP - Brasil is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.
Based on a work at ojs.unesp.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/about/editorialPolicies#custom0.