Plantando sorrisos: uma prática ambiental e social no Centro de Progressão Penitenciária III “Prof. Noé Azevedo”

Valeska Tamachunas, Angela Braga Franzolin, Beatriz Antoniassi, Marcos Bohrer Monteiro Siqueira

Resumo


O projeto Plantando Sorrisos surgiu como uma proposta de unir comunidades específicas da sociedade, juntamente com a universidade, através do plantio de árvores nativas em áreas degradadas a fim de promover a sensibilização de diferentes causas. O Momento 3 enfatizou a importância da inserção de reeducandos prisionais com a causa ambiental e está descrito no presente trabalho. O local do plantio ocorreu no Centro de Progressão Penitenciária III (CPP III), em Bauru/SP. O público alvo envolveu os reeducandos presentes na unidade, assim como Professores e alunos da Universidade do Sagrado Coração. A atividade foi realizada no dia da árvore, onde os integrantes do Grupo de Ecologia Vegetal Aplicada (GEVA), juntamente com os reeducandos plantaram 1000 mudas de árvores de várias espécies nativas. O objetivo desta ação foi recuperar uma pequena área de mata ciliar da fazenda onde está inserido o CPP, integrando, desta forma, a sociedade como um todo. Assim, tem-se que foi cumprido o papel extensionista da Universidade, fazendo a inclusão social e demonstrando a importância do cuidado ao meio ambiente.


Palavras-chave


Educação Ambiental, Inclusão Social, Integração

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Plano nacional de extensão universitária. Disponível em

. Acesso em: 11 set. 2017.

CAPRA. F. Alfabetização Ecológica: a educação das crianças para um mundo sustentável. São Paulo: Cultrix, 2006.

CARVALHO, I. C. M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CAVALCANTE, M. B. O papel da educação ambiental na era do desenvolvimento (in)sustentável. Educação Ambiental em Ação, Novo Hamburgo, v. 36, p. 1-4, 2011.

CAVALCANTI NETO, A. L. G. Ensino de ciências e educação ambiental no nível fundamental: análise de algumas estratégias didáticas. Ciência e Educação, Bauru, v. 17, p. 129-144, 2011.

CORREA, E. J. Extensão universitária, política institucional e inclusão social. Revista Brasileira de Extensão Universitária, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 12-15, 2003.

GUEDES, J. C. S. Educação ambiental nas escolas de ensino fundamental: estudo de caso. Garanhuns: Ed. do autor, 2006.

KRASILCHIK, M. Caminhos do Ensino de Ciências no Brasil. Em Aberto, Brasília, v. 11, n. 55, p. 3-8, 1992.

MARANDINO, M. Educação, ciência e extensão: a necessária promoção. Revista Cultura e Extensão USP, São Paulo, v. 9, p. 89-100, 2013.

MARTINEZ JUNIOR, E. As instituições de educação superior e as autoridades estatais: autonomia e controle. Direito à educação. São Paulo. Editora da Universidade de São Paulo. p. 113-122. 2009.

MOREIRA, A. M. A teoria dos campos conceituais de Vergnaud, o ensino de Ciências e a pesquisa nesta área. Investigação em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 7, n. 1, p. 7-29, 2002.

MOREIRA, B.; PELLIZZARO, I. Educação em saúde: um programa de extensão universitária. Revista Textos e Contextos, Porto Alegre, v. 8, n. 1, p. 156-171, 2009.

RABONI, P. C. A. Atividades práticas de ciências naturais na formação de professores para as series inicias. 2002. 183 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2002.

SAUVÉ, L. Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 31, n. 2, p. 317-322, maio/ago. 2005.

SILVA, J.A. Comentário contextual à Constituição. 3 ed. São Paulo: Malheiros, 2007.

XAVIER, C.L.; NISHIJIMA, T. Percepção ambiental junto aos moradores do entorno do arroio Tabuão no bairro Esperança em Panambi/RS. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. Santa Maria, v. 1, n. 1, p. 47-58, 2010.




Creative Commons License
Revista Ciência em Extensão by Pró-Reitoria de Extensão Universitária - UNESP - Brasil is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.
Based on a work at ojs.unesp.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/about/editorialPolicies#custom0.