Cuidadores que se encontram: (IN)formação de cuidadores de instituições de longa permanência para idosos

Nathalia Santos Dutra, Júlia Cabral Mazini, Marcos Vieira Silva

Resumo


Mudanças demográficas e epidemiológicas tem feito parte da nova realidade mundial. Com o aumento da população de idosos, torna-se importante discutir, entre outras questões, as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) e a formação dos profissionais responsáveis pelos cuidados dos seus residentes. Neste artigo, narramos e discutimos encontros de cuidadores que foram realizados com o objetivo de contribuir para a formação dos mesmos e como possibilidade de debate e reflexão sobre a profissão e a atuação profissional. Nos encontros, reuníamos profissionais com formações em diferentes disciplinas, cuidadores formais e informais, colaboradores, coordenadores, alunos de graduação e pós-graduação e professores, para articular saberes, construir conhecimento e realizar compartilhamentos de sentimentos relacionados ao cotidiano de trabalho. Os encontros acontecem semanalmente numa parceria da Universidade com as ILPIs e são construídos na interação dos alunos com os cuidadores nas intervenções realizadas pelos projetos de pesquisa e extensão.

Palavras-chave


formação, cuidadores, idosos.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, M. L. M. & ABADE, F. L.. Para reiventar as rodas. Belo Horizonte: Rede Cidadania. Publicação Eletrônica. 2008. Disponível em: http://www.ufsj.edu.br/portal-repositorio/File/lapip/PARA_REINVENTAR_AS_RODAS.pdf. Acesso em 22 Març. 2014.

ARAÚJO I.M., PAUL C. & MARTINS M. M. . Cuidar de idosos dependentes no domicílio: desabafos de quem cuida. Cienc Cuid Saude, v. 8, n. 14, p. 191-197, 2009.

BEDANI, M. Clima Organizacional: investigação e diagnóstico: estudo de caso em agências de viagem e turismo. Psicologia para América Latina, v. 7, n. 1. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-350X2006000300011&lng=pt&tlng=pt. Acesso em 11 Jun. 2014.

BRÊTAS A. C. P. Cuidadores de idosos e o sistema único de saúde. Rev Bras Enferm, Brasília (DF), v. 56,n.3, p. 298-301, 2003.

CARVALHO, P., & DIAS, O. Adaptação dos Idosos Institucionalizados. Millenium, v. 40,n.1, p. 161–184, 2011.

CATTANI, R. B. & GIRARDON-PERLINI, N.M. O. . Cuidar do idoso doente no domicílio na voz de cuidadores familiares. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 6, n.2, p. 254-271, 2011.

DIOGO M. J. D., CEOLIM M. F. & CINTRA F. A. . Orientações para idosas que cuidam de idosos no domicílio. Rev Esc Enferm USP; v. 39, n.1, p. 97-102, 2005.

FUENTES, S.A.M.P.S., FIGUEIREDO, D., MERCADANTE, E.F., LODOVICI, F.M.M., & CERVENY, C.M. DE O. A importância de capacitar, e formar pessoas que trabalham com idosos em Centros-Dia. Revista Kairós Gerontologia, v. 17, n.3, p.233-251, 2014.

GIL M. E. & BERTUZZI L. D. Desafios para a psicologia no cuidado com o cuidador. Bioética, Brasília, Conselho Federal de Medicina, v.14, n.1, p.1- 49, 2006.

IERVOLINO, S. A. & PELICIONI, M. C. F. A utilização do grupo focal como metodologia qualitativa na promoção da saúde. Rev. Esc. Enf. USP, v. 35,n.2, p.115-121, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v35n2/v35n2a03.pdf. Acesso em: 11 Jun. 2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Recuperado em 10 de ago. 2014 de http://www.ibge.gov.br/home/

IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Instituições de longa permanência para idosos: caracterização e condições de atendimento. Curitiba. 2008.

KAWASAKI K. & DIOGO M.J.D. Assistência domiciliária ao idoso: perfil do cuidador formal - parte I. Rev Esc Enferm USP , v.35, n.3, p. 257-64, 2001.

MELO, A. D. DE., MAIA, A. H. S., AZEVEDO, E. A. M. DE., LOPES, H. G., COSTA, A. V. B., NUNES, V. M. A., PIUVESAM, G. I Oficina para cuidadores de idosos institucionalizados: relato de experiência. Convibra. 2014. Disponível em: http://www.convibra.org/upload/paper/2014/78/2014_78_9408.pdf. Acesso em 24 Abr. 2016.

MENDES A. M. B. Aspectos Psicodinâmicos da Relação Homem-Trabalho: as contribuições de Dejours. Psicologia Ciência e Profissão. 1995.

MOREIRA M. D. & CALDAS C. P. A importância do cuidador no contexto da saúde do idoso. Esc Anna Nery R Enferm; v. 11, n., p. 520 – 5, 2007.

PUENTE-PALACIOS, K. & MARTINS, M. DO C. F. Gestão do Clima Organizacional. In: Mourão, L. (orgs.). O trabalho e as organizações: atuações a partir da Psicologia. Porto Alegre: Artmed, 2013 (p. 252-278).

RIBEIRO M. T.F., FERREIRA R. C., MAGALHÃES C. S., MOREIRA A. N., FERREIRA E. F. Processo de cuidar nas instituições de longa permanência: visão dos cuidadores formais de idosos. Rev Bras Enferm, Brasília; v. 62, n.6, p. 870-5,2009.

SANTOS, J. C., CARVALHO, A. V., RODRIGUES, B. F., & MORAIS, B. H. S. Como fazer a diferença? Relato de uma intervenção em psicologia organizacional realizada por uma empresa júnior em um hospital filantrópico. Pesquisa e Práticas Psicossociais, v.8, n.2, p.1-8, 2014. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/revista_ppp/article/view/531/511. Acesso em 11/ Jun. 2014.

SOUZA M. B. S. Os significados construídos por cuidadores que trabalham em uma instituição de longa permanência a respeito do cuidado ao idoso. Tese (doutorado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Instituto de Geriatria e Gerontologia. Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica. Porto Alegre. 2014.

SCHWANKE C. H. A. & FEIJÓ A. G. S. Cuidando de cuidadores de idosos. Bioética, Brasília, Conselho Federal de Medicina v.14, n. 1, p.1-83, 2006.




Creative Commons License
Revista Ciência em Extensão by Pró-Reitoria de Extensão Universitária - UNESP - Brasil is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.
Based on a work at ojs.unesp.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/about/editorialPolicies#custom0.