Geração de renda e inclusão social: o projeto “Transformando vidas”

Vânia Medianeira Flores Costa, Rita de Cássia Trindade dos Santos, Bruna de Vargas Bianchim, Letícia Stédile

Resumo


O presente estudo tem por objetivo relatar as ações desenvolvidas pelo projeto de extensão “Transformando Vidas” para inclusão socioeconômica de mulheres em situação de vulnerabilidade social por meio da geração de trabalho e renda. Sistematizado a partir de uma metodologia participativa e com auxílio de recursos públicos e da iniciativa privada, as atividades de extensão foram desenvolvidas em três fases. Primeiramente, realizaram-se oficinas de formação profissional no Centro Social Comunitário do bairro com o intuito de contribuir para a geração de trabalho e renda das participantes. Na segunda fase foram inclusos temas relacionados à alimentação saudável e relações interpessoais, grupais e familiares com orientação de profissional da Psicologia. A terceira fase do “Transformando Vidas” é resultado de uma construção processual advinda da percepção do público envolvido que ampliou participação para toda comunidade local com a capacitação para o plantio de hortas urbanas por meio da técnica de hortas suspensas, atividades em andamento no corrente ano. Pelas experiências vividas, percebe-se que o impacto social proporcionado por ações de extensão é um processo gradativo, desafiante e requer uma gestão por meio de planejamento participativo que inclua o público alvo como sujeito ativo. Essa é uma característica marcante que norteou as decisões, inicialmente projetado para geração de trabalho e renda para o público feminino as oficinas foram redimensionadas para todos interessados e temas como alimentação saudável, relações interpessoais e práticas de sustentabilidade. 


Palavras-chave


Vulnerabilidade Social, Geração de Trabalho e Renda, Inclusão Socioeconômica

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

BULGACOVA, Y. L. M. ET. AL. Atividade empreendedora da mulher brasileira: Trabalho precário ou trabalho decente? Revista Psicologia Argumento, v. 28, n. 63, p. 337-349, out./dez. 2010. Disponível em < www2.pucpr.br/reol/index.php/PA?dd1=3935&dd99=pdf > Acesso em: 18 agosto, 2016.

CARLOTO, C. M; GOMES, A. G. Geração de renda: enfoque nas mulheres pobres e divisão sexual do trabalho. Revista de Serviço Social e Sociedade, n. 105, p. 131-145, jan./mar. 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/sssoc/n105/08.pdf > Acesso em: 3 julho, 2016.

CARVALHO, L. Familia chefiada por mulheres: relevância para uma política social dirigida. Revista Serviço Social e Sociedade, ano 19, n. 57, p.74-98, julho. 1998.

FERRAZ, D. L. S.; DIAS, P. Discutindo autogestão: um diálogo entre os pensamentos clássico e contemporâneo e as influências nas práticas autogestionárias da economia popular solidária. Organização & Sociedade, v. 15, n. 46, jul./set. 2008. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/osoc/v15n46/05.pdf Acesso em: 17 agosto, 2016.

FÓRUM DE EXTENSÃO DOS PRÓ-REITORES DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus, AM: FORPROEX, 2012.

Global Entrepreneurship Monitor (GEM). Empreendedorismo no Brasil. Disponível em: < https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Estudos%20e%20Pesquisas/gem%202014_relat%C3%B3rio%20executivo.pdf> Acesso em: 22 ago. 2015

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Perfil das mulheres responsáveis pelos domicílios no Brasil 2000. Departamento de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2002.

______. Pesquisa nacional por amostra de domicílios: PNAD: microdados. Rio de Janeiro, 2012. CD ROM.

MAIA, L. V. S; CESAR, T. F. Projetos de geração de trabalho e renda, uma inserção informal no mercado, sobre possibilidades de inclusão social. Revista Eletrônica Novo Enfoque, v. 7, n. 7, 2008. Disponível em: Acesso em: 3 julho, 2016.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT). Geração de Renda. Coleção Boas Práticas e Lições Aprendidas. Disponível em: Acesso em: 1 julho, 2016.

PADOIN, I. G; VIRGOLIN, I. W. C. A vulnerabilidade social como uma dificuldade a participação política. In: Seminário Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão. UNICRUZ, 2010. Disponível em: Acesso em: 3 julho, 2016.

PINTO, R. M. F ET AL. Condição feminina de mulheres chefes de família em situação de vulnerabilidade social. Revista de Serviço Social e Sociedade. n. 105, p. 167-179, jan./mar. 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/sssoc/n105/10.pdf > Acesso em: 3 julho, 2016.

RELATÓRIO ANUAL SOCIOECONÔMICO DA MULHER (RASEAM). 1ª Impressão. Brasília: Secretaria de Políticas para as Mulheres, março de 2015. 181p. Disponível em: < http://www.spm.gov.br/central-de-conteudos/publicacoes/publicacoes/2015/livro-raseam_completo.pdf> Acesso em: 8 julho, 2016.

SARTORI, E.; GARCIA, C. H. M. Políticas compensatórias versus emancipatórias: desafios para implementação de programas de geração de renda às famílias em situação de risco. Revista de Administração Pública, v. 46, n. 2 mar./apr. 2012. Disponível em: Acesso em: 17 agosto, 2016.

SOUSA, A. L. L. A História da Extensão Universitária. 2ª. ed. Campinas: Alínea, 2010.

SILVA, V. Ensino, pesquisa e extensão: Uma análise das atividades desenvolvidas no GPAM e suas contribuições para a formação acadêmica. Vitória, novembro de 2011. Base de dados do Scielo. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2015




Creative Commons License
Revista Ciência em Extensão by Pró-Reitoria de Extensão Universitária - UNESP - Brasil is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.
Based on a work at ojs.unesp.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/about/editorialPolicies#custom0.