Vivências de grupos de dinâmicas em uma clínica psicológica universitária

Letícia Akemi Shiki, Michele Regina Ganeo, Maíra Bonafé Sei, Daniel Polimeni Maireno

Resumo


Objetiva-se, por meio deste relato de experiência, apresentar e discutir experiências práticas advindas de um projeto de extensão destinado à realização de grupos de dinâmicas. Tais atividades, de caráter aberto a qualquer interessado, sem necessidade de agendamento prévio, acontecem no serviço-escola de Psicologia da Universidade Estadual de Londrina. Almeja-se, assim, discorrer sobre a implantação desta proposta interventiva, abordando seus efeitos e resultados junto ao público atendido. Aponta-se, assim, que este projeto começou como um serviço para as pessoas que estavam na lista de espera de atendimento, porém, a demanda foi além do que estava proposto e acabou atingindo toda a comunidade. São discutidos aspectos concernentes ao funcionamento e manejo dos grupos, com reflexões sobre os modelos de intervenção similares destinados à diminuição da evasão em serviços-escola de Psicologia. Além disso, recorre-se às discussões acerca do papel e potencial dos grupos de sala de espera, tecendo considerações acerca da importância de se criar novas estratégias de prevenção e promoção de saúde. Nota-se que os grupos de dinâmica contribuíram para ampliar o acesso da população à Clínica Psicológica da UEL e diversificar as propostas não destinadas apenas ao tratamento, mas também à prevenção em saúde, fomentando o papel social das clínicas psicológicas universitárias.

Palavras-chave


Extensão Universitária. Psicologia Clínica. Dinâmica de Grupo. Prevenção e Promoção da Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


BOECKEL, M. G. et al. O papel do serviço-escola na consolidação do projeto pedagógico do curso de Psicologia. Psicologia: Ensino & Formação, Brasília, v. 1, n. 1, p. 41-52, abr. 2010. Disponível em . Acesso em 05 abr. 2016.

CARDOSO, A. M.; MUNHOZ, M. L. P. Grupo de espera na clínica-escola: intervenção em arteterapia. Revista da SPAGESP, Ribeirão Preto, v. 14, n. 1, p. 43-54, 2013. Disponível em . Acesso em 01 set. 2016.

CINTRA, M. E. R.; MACUL, P. G. S. Uma experiência de Arteterapia aplicada em na sala de espera de um Centro de Acolhimento para Refugiados. Psicologia para América Latina, México, n. 5, fev. 2006. Disponível em . Acesso em 01 set. 2016.

GUERRELHAS, F. F.; SILVARES, E. F. M. Grupos de espera recreativos: proposta para diminuir o índice de evasão em clínica-escola de psicologia. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 8, n. 3, p. 313-321, dez. 2000. Disponível em . Acesso em 06 abr. 2016.

GUERRELHAS, F.; BUENO, M.; SILVARES, E. F. M. Grupo de ludoterapia comportamental X Grupo de espera recreativo infantil. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 157-169, dez. 2000. Disponível em . Acesso em 05 abr. 2016.

LÖHR, S. S. et al. Prevenção e promoção da saúde: um desafio na formação de psicólogo. Revista de Psicologia da Criança e do Adolescente, Lisboa, v. 4, n. 2, p. 2015-222, 2013.

MARTURANO, E. M.; SILVARES, E. F. M.; OLIVEIRA, M. S. Serviços-escola de psicologia: seu lugar no circuito de permuta do conhecimento. Temas em psicologia, Ribeirão Preto, v. 22, n. 2, p. 457-470, dez. 2014. Disponível em . Acesso em 01 set. 2016. http://dx.doi.org/10.9788/TP2014.2-15.

MILAGRE, I. M. S.; DIAS, A. G. Abandono do tratamento psicológico na clínica-escola do UNIPAM: reflexões institucionais. Perquirere, v. 9, n. 1, p. 55-69, 2012. Disponível em . Acesso em 01 set. 2016.

PERES, R. S.; SANTOS, M. A.; COELHO, H. M. B. Atendimento psicológico a estudantes universitários: considerações acerca de uma experiência em clínica-escola. Estudos de psicologia, Campinas, v. 20, n. 3, p. 47-57, Dez. 2003. Disponível em . Acesso em 05 Abr. 2016.http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2003000300004.

PERES, V. L. A. Triagem psicológica grupal: procedimento e resultados obtidos com lista de espera de crianças, adolescentes e adultos, em uma clínica-escola de psicologia. Paidéia, Ribeirão Preto, n. 12-13, p. 63-76, Ago. 1997. Disponível em . Acesso em 05 Abr. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-863X1997000100006.

SILVA, R. C. Metodologias Participativas para trabalhos de Promoção de Saúde e Cidadania. São Paulo: Vetor Editora, 2002.

TEIXEIRA, E. R.; VELOSO, R. C. O grupo em sala de espera: território de práticas e representações em saúde. Texto contexto - enfermagem, Florianópolis, v. 15, n. 2, p. 320-325, Junho 2006. Disponível em . Acesso em 29 mai. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072006000200017.

VERÍSSIMO, D. S.; VALLE, E. R. M. Grupos de sala de espera no apoio ao paciente somático. Revista da SPAGESP, v. 6, 28-36, 2005. Disponível em . Acesso em 30 ago. 2016.

YALOM, I.; LESZCZ, M. Psicoterapia de grupo: teoria e prática. Porto Alegre: Artmed, 2006.

ZIMERMAN, D. E. Fundamentos básicos das grupoterapias. Porto Alegre: Artmed, 2000.




Creative Commons License
Revista Ciência em Extensão by Pró-Reitoria de Extensão Universitária - UNESP - Brasil is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.
Based on a work at ojs.unesp.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/about/editorialPolicies#custom0.