ADUBAÇÃO COM TORTA DE MAMONA SOBRE O CRESCIMENTO E PRODUÇÃO DA AMOREIRA-PRETA

Letícia Vanni Ferreira, Carine Cocco, Daiana Finkenauer, Luciano Picolotto, Luis Eduardo Corrêa Antunes

Resumo


A amoreira-preta é uma espécie rústica e, apesar
de ter sido introduzida no Brasil na década de 70, poucos trabalhos
relacionados ao manejo fitotécnico foram realizados. Objetivou-se com a
presente pesquisa avaliar o efeito vegetativo e produtivo em amoreira-preta, do
uso de diferentes doses de torta de mamona como adubação de pré-plantio. O
experimento a campo foi implantado em área experimental da Embrapa Clima
Temperado, Pelotas, RS e, as análises químicas, no Laboratório de Nutrição
Vegetal da mesma instituição, no período de 2008 a 2012. Os tratamentos foram:
T1- 0; T2- 200; T3- 400; T4- 800; T5- 1.600g de torta de mamona por planta,
aplicados no momento da implantação do pomar. O
delineamento experimental foi em blocos ao acaso. Avaliou-se
a massa seca de poda de formação, o número de hastes, o comprimento das
hastes, a massa seca de poda de produção, a produção, o número médio de frutas
por planta, a massa média de frutas, o diâmetro das frutas e o conteúdo de
sólidos solúveis. Em 2010 foi realizada análise do teor de nutrientes nas
folhas, determinando-se os seguintes elementos: N, P, K, Ca, Mg, Fe, Mn, Zn e
Cu.  As variáveis avaliadas não foram
influenciadas pelas doses de torta de mamona. Não foram verificados efeitos
residuais de longo prazo sobre o desenvolvimento vegetativo, produtivo e dos
macro e micronutrientes da amoreira-preta Tupy. Neste sentido, conclui-se que o
uso de torta de mamona não causa efeito no comportamento da planta de
amoreira-preta nas condições do presente trabalho.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Cultura Agronômica

Cultura Agronômica
Ilha Solteira - SP
E-ISSN 2446-8355
E-mail: rca.feis@unesp.br
    
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.