DOSES DE FÓSFORO E GESSO NO PLANTIO DIRETO DE SOJA SOBRE PASTAGEM DEGRADADA NA REGIÃO DO CERRADO

Rienni de Paula Queiroz, Marcio Lustosa Santos, Edson Lazarini

Resumo


Segundo levantamento do Centro Nacional de Pesquisa
de Gado de Corte, no Centro-Oeste, o principal pólo produtor de carne do país,
com seus 50 milhões de hectares de pastagens implantadas, os pecuaristas terão
que reformar 25 milhões de hectares já totalmente degradados e mais 15 milhões
em acelerado processo de degradação. Neste sentido, o presente trabalho teve
por objetivo avaliar o comportamento da cultura da soja, semeada de forma
direta em área com pastagem degradada, na presença ou ausência de escarificação
do solo e/ou gesso (1320 kg ha-1) elou adição de fósforo fornecido em
diferentes doses (0, 50, 100 e 200 kg ha-1). O trabalho foi
desenvolvido na área experimental da FE/UNESP - Campus de Ilha Solteira,
localizada no município de Selvíria - MS, num solo tipo LATOSSOLO VERMELHO
aluminoférrico, textura média. O delineamento experimental foi em blocos
casualizados com quatro repetições. A escarificação do solo, bem como a
aplicação do gesso e doses de fósforo ocorreu em março/2003 e a semeadura da
soja, variedade IAC-19, em janeiro/2004. Através dos resultados obtidos verificou-se
que a dose de 50 kg ha-1 de P205 foi considerada suficiente como
adubação corretiva na implantação de soja sobre pastagem degradada em solos com
teores baixos de fósforo; o gesso pode ser utilizado como fonte de Ca e S para
a cultura da soja sobre pastagem degradada e a escarificação do solo não
influenciou nos resultados obtidos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2009 Cultura Agronômica: Revista de Ciências Agronômicas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Cultura Agronômica
Ilha Solteira - SP
E-ISSN 2446-8355
E-mail: rca.feis@unesp.br
    
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.